EterTICs GNU/Linux
Distribución libre para Radios Comunitarias

GNU/EterTICs uma ferramenta para rádios livres

Boas notícias. As estações de rádio comunitárias têm ao seu alcance uma nova ferramenta para alcançar a independência tecnológica. Um grupo de camaradas de diferentes cidades da Pátria Grande conseguiu criar uma distribuição que contém jogadores e automatizadores, todos com Software Livre.

O mérito a ser destacado é o trabalho feito em comunidade. Cada compañero aportando su sapiencia, sin apartarse de la filosofía del conocimiento libre. Una parte de la historia comienza en la argentina ciudad de Posadas. A orillas del gran río Paraná.Há 12 anos ela emite ali, uma estação de rádio comunitária com um projeto de comunicação política baseado na comunicação popular Radio El Libertador. Comunicación sin ataduras.Mas... em termos de tecnologia da informação, ele foi acorrentado a software proprietário. Y, ¿por qué?Por falta de consciência e também por não saber que fora do mundo proprietário havia vida, havia liberdade.

Javier Obregón, que desempenhou o papel de especialista em TI, foi a principal força para quebrar o molde. Estávamos em 2006 e o questionamento começou: Como, por que e para que propósito devemos migrar para o software libertário.

O treinamento de todo o coletivo começou. Não há migração sem treinamento. Não há migração sem treinamento, porque no primeiro tropeço, voltamos às práticas antigas. Ou seja, a software proprietário.

Em poucos meses, migramos completamente. Nós não tínhamos um programa de automação. Conseguimos de qualquer forma. Começamos a assumir o controle da "nossa" TI.

Depois veio o estágio de socialização de nossa experiência. E começamos com nossos amigos de rádio. FM La Nueva de Formosa e, fundamentalmente, FM San Pedro da província de Santiago del Estero. O treinamento nesta estação irmã de rádio foi um desafio. Não havia conectividade com a Internet. Foi lá que a idéia começou a tomar forma de criar um sistema de distribuição que levasse em conta as deficiências das estações de rádio rurais.

A FM San Pedro del Guasayán é dirigida por um padre muito particular. Temos uma afinidade ideológica com ele. Ele é o Padre Mariano Ledesma, que aderiu à idéia sem ter muita consciência, mas seu coração lhe disse que este era o caminho certo a ser seguido. E de repente ele começou a adotar um evangelho muito diferente. Ele pediu para migrar seu netbook para o Software Livre e havia lá um problema técnico do qual não vou dar detalhes, mas o pobre amigo padre não só se tornou um apóstolo do Software Livre, mas um mártir. Os arquivos em seu netbook entraram no mundo do nada.

Hoje, a FM San Pedro conta com um centro de treinamento de rádio. Graças a um acordo entre o Foro Argentino de Radios Comunitarias (FARCO) e o Ministério Nacional do Trabalho.

Este centro e o rádio são migrados para o Software Livre. É a primeira semente que começou a germinar.

Em todos esses anos, o projeto Radios Libres avançou muito lentamente devido à falta de recursos e à falta de desenvolvedores. Mas a história começou a tomar um rumo importante. Os recursos não apareceram, mas os desenvolvedores sim, e eles vieram de lugares diferentes, mas da mesma geografia: a Pátria Grande.

De repente, Santiago García Gago apareceu em cena, que conhecemos de sua carreira em Radialistas Apasionados y Apasionadas, um coletivo líder na produção de conteúdo na América do Sul e no Caribe.

Santiago estava apresentando seu site da Guatemala: RadiosLibres.net. Sem saber que milhares de quilômetros mais ao sul, ele estava incubando um projeto semelhante. E não foi preciso pensar muito. Todos nós participamos. Esse foi o gatilho.

E outros camaradas apareceram: Feijoo Jimenez e Jaime Ernesto Mora da Venezuela, Pablo Gabriel Lopez, um uruguaio que vive na Venezuela, e Clara Robayo dos Radialistas Apasionadas y Apasionado

Há também a contribuição de outros colegas da Argentina. Eles se uniram graças a outro coletivo. É a Rede de Comunicadores do MERCOSUL. Este grupo tem sua própria história. Foi formada há alguns anos por comunicadores da mídia popular e estatal. Aqui, discutimos as nuances da comunicação. Javier Obregón se junta a este grupo. A rara avis. Ele só entendia de software livre. Mas ali os camaradas lhe deram o papel que lhe convinha. E ele começou a evangelizá-los. Nesta rede, nós nos demos uma política de treinamento e, naturalmente, o software libertário tem sua importância. Javier começou lá com um grupo de jovens que hoje são o novo sangue. Eles são os futuros treinadores. Refiro-me a Jonatan Alamaraz Funes de Fm San Patricio (Província de Santa Fé) e Javier Diaz da FM La Ranchada (Córdoba).

Agustin Fontaine da Cooperativa Viarava em Córdoba e os camaradas da FM Mate Amargo, da cidade de Los Toldos (Província de Buenos Aires) também se juntaram ao grupo, que se chamaram "nabotecnistas" neste coletivo libertário. Uma raça de seres humanos desprovidos dos conhecimentos informáticos que a maioria dos camaradas acima mencionados possuem. Mas eles estão convencidos da independência tecnológica. Eu me junto a este grupo, porque meus conhecimentos são conhecimentos básicos do usuário, mas tenho sido uma testemunha fiel do trabalho árduo dos camaradas que roubaram horas de descanso e de suas famílias e as dedicaram a seus semelhantes, demonstrando que com perseverança e tenacidade se pode avançar mesmo sem recursos financeiros. Esta é a grande notícia. Que um grupo de homens e mulheres conseguiu esta ferramenta sem o motivo do lucro. O quanto os burocratas do Estado que não fazem nada sem dinheiro deveriam aprender com isso. !!!!

Quero compartilhar três breves mensagens que, espero, sejam multiplicadas por milhares. Eles são três pensamentos de queridos camaradas. * O padre Mariano Ledesma escreveu:

Camarada Darío Isola de Los Toldos: a cidade onde nasceu Eva Perón:

Da Venezuela, camarada Robert Delgado:

Devo dizer que todo este grupo se junta ao trabalho comunitário quando o projeto GNU ETER/TICs estava em sua versão três. Mas eles foram responsáveis por dar um empurrão final para torná-lo realidade hoje.

Os EterTICs GNU/Linux pertencerão a todas as emissoras de rádio. É uma questão de apropriar-se desta ferramenta, o que não é mágico. É parte de uma filosofia. Não morde, é amigável e é uma porta para a liberdade e independência tecnológica de nossos rádios, que dizemos serem libertários. Bem, vamos ser livres em cada conceito.

Publicado por Javier Obregón / 17 de novembro de 2014